quarta-feira, fevereiro 08, 2012

Vozes Bugras

Vozes Bugras (clique para ouvir)

Texto e voz de Anabel Andrés.

Esse texto poético eu compus há quase 10 anos, como uma homenagem a todas as vozes que queremos representar no nosso trabalho, como um manifesto.
Sofreu duas mudanças importantes ao longo do tempo, por exemplo, antes a primeira oração era:
Vozes Bugras são vozes de resistência. - mas conforme o tempo foi passando e o significado das palavras assentando, isso soava incompleto, pois não é só de resistência que se trata a preservação de raízes, senão de acolhimento de elementos novos que, ao serem reapropriados, fortalecem o sentido de manifestações de uma cultura. Antropofagia. Acolher e incorporar sem perder o sentido nuclear da cultura.
Ficou: Vozes bugras são vozes de resistência e acolhimento.
Outra mudança que conferiu um aprofundamento de sentido foi o que originalmente era:
Vozes camponesas, urbanas e suburbanas que ecoam na identidade de cada mulher deste Brasil.
Algo na palavra camponesas me soava meio panfletário, tipo manifesto comunista, não parecia orgânico. Passei algum tempo comentando essa inquietude, até que um dia veio a Ully e disse: - experimenta "sertanejas". É isso. A cara do Brasil é o sertão! Depois parecia incrível não ter ocorrido antes essa palavra tão cheia de sentido!
Foto de Juca Martins extraída do site http://bravoyouthfoundation.org/portugues/fotogaleria.html


Hoje o sinto redondo, fluente feito o som das folhas que o vento balança anunciando coisas que não tem tempo.


Anabel

Nenhum comentário:

Postar um comentário