segunda-feira, março 08, 2010

Que dia da mulher mais especial! Um presente do Universo. Parecia até uma abertura de portal, tantas "coincidências" e reverberações de novas escolhas...
Transmutando o fim de um ciclo de 7 anos iniciado num 8 de março... grandes aprendizados sobre ser e gostar de ser a mulher que sou, persistência, transformar mágoas em crescimento e compaixão, paciência, lealdade, perdão, limites e finalmente deixar ir. Também desse ciclo levo o aprendizado de ser mãe a cada dia...
Encontrei com uma amiga, parceira de som e luz no centro da cidade , daquelas que nos fazem reconhecer nosso eu mais profundo, identidade, sincronicidade, e, de repente, estavamos fazendo uma peregrinação pelos espaços sagrados daquele coração de Sampa... conectando com o divino invisível que tudo habita. São Francisco, Catedral da Sé, Nossa Sra. da Cabeça, Santa Luzia... clareando o olhar. Quando a gente se vê, se eleva. E como em "Avatar", ver o outro na totalidade, respeitando e comungando com ele, dá um sentido de pertencer. Tribo.
As esculturas pelas quais se passa de um jeito blasé em geral, hoje pareciam gritar pelo olhar.
ManaCá, que riqueza de encontro! 'Tudo que move é sagrado e remove as montanhas com todo cuidado."
Caminho novo se abrindo. Tempo.
Eu me sentindo tão viva, livre e bonita! Serena, e cheia de ansiedade... pulsando e abrindo espaços novos em mim.
Grata por tudo ser como é.

Anabel

Nenhum comentário:

Postar um comentário