quarta-feira, outubro 14, 2009

O seu amor

Doces Bárbaros

O seu amor
Ame-o e deixe-o
Livre para amar
Livre para amar
Livre para amar
O seu amor
Ame-o e deixe-o
Ir aonde quiser
Ir aonde quiser
Ir aonde quiser
O seu amor
Ame-o e deixe-o brincar
Ame-o e deixe-o correr
Ame-o e deixe-o cansar
Ame-o e deixe-o dormir em paz
O seu amor
Ame-o e deixe-o
Ser o que ele é
Ser o que ele é
Ser o que ele é.

___________________________________

Andei tanto naquela tarde, talvez tentando fugir de mim, desafogar meu peito que doia, transmutar a raiva e a tristeza.
Entrei numa livraria que tinha muitos volumes espalhados em banheiras de promoção, e comecei a lê-los, escolhia um título e via o que dizia pra mim, naquele momento. Eles me falaram do prazer da solidão, das cartas do tarô, de deixar as coisas acontecerem conforme as leis do universo, de desapegar, de fazer diferente. Fiquei quase duas horas lendo trechos aleatórios... saí de lá bem mais leve. E me veio essa canção. E nada mais importava. Não queria mais lutar pelo meu desejo. Lutar, na verdade o torna mais forte, e cada vez que ele é constrangido, dói e aflora dores passadas, a frustração de não vivê-lo plenamente mais uma vez ressoa. Lembro de tanta coisa bonita também, mas o passado não é um lugar para morar, nem ser feliz.
Lembrei da palestra sobre o desejo em Spinoza. Não quero ser algoz do desejo de ninguém, nem do meu próprio. Melhor seguir um caminho diferente, por que repetir os mesmos dilemas, as mesmas cenas, as mesmas farsas?. Melhor seguir meu caminho.Deixar meu amor ir aonde quiser, livre para amar, ser o que ele é.


Anabel

Um comentário: