Bota pra tocar

terça-feira, dezembro 31, 2013

Um recadinho de meu pai

- Esta semana estava com minha mãe olhando alguns papéis de meu pai, que há um ano partiu desta dimensão, e encontrei um recorte de jornal com este texto e várias cópias, coisa que ele gostava de fazer com textos que traziam alguma reflexão, muitas vezes engraçada e paradoxal, para depois dar aos amigos, e conversar a respeito. Acho que foi isso mesmo o que ele fez, com uma intuição precisa do momento, deixando esse texto que compartilho agora.

Passou 


Por Rubem Braga

O ano passou. Não sei se vós, leitor amigo, ou vós, distinta leitora, o passastes bem. Eu, como já passei muitos, os tenho passado de todo jeito, e ainda hoje esse segundo que vem depois da meia-noite me perturba.

Já passei ano só, em terra estranha, ou – o que é mais amargo – na minha; ou andando como um tonto na rua ou afundado num canto de bar ruidoso; ou tentando inutilmente telefonar; dormindo; com dor de dente. E quando digo de todo jeito estou dizendo também de jeito feliz, entre gente irmã ou nos braços de algum amor eterno – braços que depois dobraram a esquina do mês e da vida, e se foram, oh! provavelmente sem sequer a mais leve mágoa nos cotovelos, apenas indo para outros braços.

Passam os anos, passam os braços; mas fica sempre, quando a terra dá outra volta em si mesma, essa emoção confusa de um instante. Conheço pessoas que fogem a esse segundo de consciência cósmica, afetando indiferença, indo dormir cedo – como se não estivessem interessadas em saber se esta piorra velha deste planeta resolveu continuar girando ou não. É singular que entre tantas festas religiosas e cívicas nenhuma chegue a ser tão emocionante e perturbe tanto a humanidade como esta, que é a Festa do Tempo. É como se todos estivéssemos fazendo anos juntos; é o Aniversário da Terra.

Se a alma estremece diante do Destino, o espírito se confunde; reina uma tendência à filosofia barata; vejam como eu começo a escrever algumas palavras com maiúsculas, eu que levo o ano inteiro proseando em tom menor, e mesmo o nome de Deus só escrevo assim para não aborrecer os outros, ou para que eles não me aborreçam..

Já ao nome do diabo, não; a esse sempre dei, e dou, o 'd' pequeno, que outra coisa não merece a sua danação. A ele encomendamos o ano que passou - e a Deus, o Novo. Que vá com maiúscula também esse Novo; fica mais bonito, e levanta nosso moral.

E se entre meus leitores há alguma pessoa que na passagem do ano teve apenas um amargo encontro consigo mesmo, e viveu esse instante na solidão, na tristeza, na desesperança, no sofrimento, ou apenas no odioso tédio, que a esse alguém me seja permitido dizer: "Vinde. Vamos tocar janeiro, vamos por fevereiro e março e abril e maio, e tudo que vier; durante o ano a gente o esquece, e se esquece; é menos mal. E às vezes, ao dobrar uma semana ou quinzena, ás vezes dá uma aragem. Dá, sim; dá, e com sombra e água fresca. E quem vo-lo diz é quem já pegou muito sol nos desertos e muito mormaço nas charnecas da existência. Coragem, a Terra está rodando; vosso mal terá cura. E se não tiver, refleti que no fim todos passam e tudo passa; o fim é um grande sossego e um imenso perdão.

Siempre te amaré

segunda-feira, dezembro 30, 2013

Recortes de 2013

Início de ano mergulhando no amor. Tântra.
Una luz al otro lado del rio... saudade.


Filhota acompanhando os percursos burocráticos...

Amiga Clau de sempre!



Homenagem de meu amigo querido Leo Maciel:
Por que me eleger só no verão se eu sou musa de qualquer estação?



Aprendendo com meninas Cristal

Irmãs e mãe sempre por perto

Reencontro mana xamânica Lou!

Lou e Máximo, delicioso encontro!

Reencontros com eternos amigos e points rock'n'roll

Viagem com meus queridos amigos Guarani a Peguao Ty



Participar do lançamento solo de mana Ully
Bugras em Tenondé Porã! 

Novas fotos

Muitos caminhos com a música

















Começando o novo cd 

Força dos encontros
Reencontros com muito astral!

Oficina das Bugras

Folando em Guaxupé com mana Cássia



Muitos shows com manas Bugras
Preparação do ritual

E passagens de som


Novas parcerias


Reencontros orgânicos performáticos! 

Renovação das energias com amigos e música orgânica

Ariguê!

quarta-feira, dezembro 11, 2013

Vozes Bugras com disco novo a caminho!

Segundo cd do meu grupo querido, Vozes Bugras, no qual trazemos a beleza das cantorias e histórias que se realizam durante os meses de dezembro e janeiro, celebrando o nascimento de Jesus e o caminho dos Santos Reis, configurando um ciclo natalino autenticamente brasileiro... 
Precisamos do apoio coletivo para concluir o projeto! O apoio é como uma compra virtual, na qual você escolhe o valor e a recompensa. Clique no link http://catarse.me/pt/vozesbugras2 
Ajude a realizar este projeto! Este sonho! Este CD! Esta Folia!

E as cantorias estarão no show:


Rádio Yandé, uma rádio indígena!

Ouça!