quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Passagem

Sisifo, de Tiziano 1549
Não me sinto particularmente motivada a grandes e generosas reflexões ultimamente. Penso e sinto que há momentos em que é tanta energia necessária para sobreviver, que o olhar poético fica adormecido, ou amortecido... mas a gente insiste, que é pra não perder o sentido do existir. Não dá pra se confortar só com as benevolências kármicas que advirão dessa provação toda. A esperança é que, como tudo passa, vai passar. Mas tá doendo essa passagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário