Bota pra tocar

sábado, maio 28, 2011

Gea Viva: O Cacique Raoni chora ao saber que Dilma liberou o...

Gea Viva: O Cacique Raoni chora ao saber que Dilma liberou o...: "Além das inúmereas cartas, a Presidente da República Dilma Roussef ignorou as mais de 600 mil assinaturas contrárias à construç ã o. É ..."

terça-feira, maio 24, 2011

MANIFESTO EM REPÚDIO AO FECHAMENTO DO TEATRO DA DANÇA

A DANÇA, aqui representada pelos profissionais, intérpretes, coreógrafos, professores, produtores, pesquisadores, diretores de companhias, cooperativas, universidades, movimentos e coletivos organizados, trabalhadores da cultura do estado de São Paulo, REPUDIAM A DECISÃO AUTORITÁRIA do Governo do Estado de São Paulo, Sr. Geraldo Alckmin que, junto ao Secretário do Estado da Cultura, Sr. Andrea Matarazzo, ENCERRAM de forma arbitrária as atividades desenvolvidas no TEATRO DE DANÇA.
Ambos, Alckmin e Matarazzo, desconhecem e desrespeitam o legado histórico e artístico deste espaço cênico. Ambos não sabem que a produção, circulação e fruição dos bens culturais é um direito constitucional, e têm que ser preservados. Desconhecem as necessidades e especificidades da DANÇA, tanto quanto dos demais segmentos – circo, teatro, música, literatura, poesia, cinema, dentre outros.


Não sabem que todas as manifestações necessitam ser contempladas numa visão, além do mundo artístico-cultural, e principalmente, distante da política de eventos, política que se instaurou no estado de São Paulo nos últimos 20 anos, à revelia dos artistas e da sociedade.


A classe artística indignada com o fechamento do TEATRO DE DANÇA reivindica a sua manutenção !
Reivindica a participação plena da sociedade nos processos decisórios das políticas públicas voltadas à cultura.


ASSINEM ESTE MANIFESTO ATRAVÉS DO LINK
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N10308










segunda-feira, maio 23, 2011

secret axis II leitura










Nesta leitura do Secret Axis, parceria com Vanderlei Lucentini, apresentada em setembro de 2010 no Teatro João Caetano, dentro do Projeto Vocacional Apresenta na ação em parceria com a Associação BrP, Encontros com a Performance,  minha proposta foi incorporar um estado meditativo sem resistência à sonosfera em sua multiplicidade de estímulos, porém, diferente da primeira leitura, mantendo uma frequencia interna que permite a resposta em lugar da reação. A participação da criança foi espontânea no ensaio, e incorporada na apresentação, reafirmando a conexão interna com o lugar onde mora a criança de cada pessoa, o âmago pulsante que, sob a couraça muscular, permanece vivo.

Anabel

domingo, maio 22, 2011

sobre 21/05/2011

Foi dia longo, bonito, cheio de sentido, afeto, desafios... tudo saiu como planejado, já que planejamos deixar o fluxo dos acontecimento realizar-se no tempo das pessoas, da cultura tradicional, num plano de ação sem rigidez. Nada como planejado quanto ao alinhavado para apresentação, no fim fica o que importa. É tudo agora ali na aldeia Guarani. Respeito profundo pela sabedoria dos mais velhos, pela espontaneidade das crianças, pelo que cada um tem a dizer, mulheres reafirmando seu espaço e força poitica, e assim os  combinados se realizam sem desapontamento nem pressão de produtividade consumista. Degustação do momento sagrado. Ritual e celebração do encontro. Cantar e dançar pra conectar e conversar com o divino. Agradecimento.
Que aberração a catequese, na arrogância de julgar que poderia ter algo melhor a oferecer como deus!

Anabel

quinta-feira, maio 19, 2011

segunda-feira, maio 02, 2011

Se você quer um ano de prosperidade, cultive trigo. Se você quer dez anos de prosperidade, cultive árvores. Se você quer cem anos de prosperidade, cultive pessoas.


(Provérbio Chinês)

Campo de trigo com lavrador, de Van Gogh

(esta reprodução eu trouxe de um site muito interessante, http://frolesmirandesas.blogspot.com/ dá uma olhada lá!)
Pode ser mais simples? Pode ser mais humano? Pode ser mais relaxado? Pode ser mais afetuoso? Pode ser mais generoso? Pode ser mais honesto? Pode ser mais divertido? Pode ser mais? Precisa ser mais?


Anabel