segunda-feira, abril 25, 2011

O uso de drogas, segundo Osho

O uso de drogas, segundo Osho

Tenho que dizer que é a melhor coisa que já li a respeito do tema. A sabedoria de Osho é um farol para despertar de verdade.

domingo, abril 24, 2011

Erros e Psique 2011

sábado, abril 23, 2011

sexta-feira, abril 15, 2011

Num canto de Emily - Virada Cultural 2011

Num canto de Emily



Performance de Anabel Andrés

Concepção Anabel Andrés e Claudinei Roberto


Sábado, 16/04/2011 às 20h


Ateliê OÇO – Galeria Cinesol
Praça Carlos Gomes, 115 Liberdade

quarta-feira, abril 13, 2011

Trabalhando na beira do momento de largar e deixar a obra ter sua vida própria daqui por diante, registrada no circuladô.
Difícil é desistir de tanto acabar!
Mas esta vez é a última.
Juro (que vou tentar...)

Anabel

quinta-feira, abril 07, 2011

Confiança

CONFIANÇA

Lembre-se sempre de que, custe o que custar, você não deveria se tornar uma pessoa desconfiada. Mesmo se sua confiança permitir que os outros o enganem, isso será melhor do que não confiar.

É muito fácil confiar quando todos são amorosos e ninguém o está enganando. Mas, mesmo se todo o mundo for falacioso e todos estiverem dispostos a enganar você – e eles somente podem enganá-lo quando você confia -, então, também, continue a confiar. Nunca perca a confiança na confiança, não importa o preço, e você nunca será um perdedor, porque a própria confiança é o fim supremo. Ela não deveria ser um meio para algo mais, pois ela tem o seu próprio valor intrínseco.

Se você puder confiar, você permanecerá aberto. As pessoas ficam fechadas como uma defesa, para que ninguém possa enganá-las ou tirar vantagem delas. Deixe que elas tirem vantagem de você! Se você insistir em confiar, um belo florescimento acontecerá, porque não haverá medo. O medo é que as pessoas o enganem, mas, uma vez aceito isso, deixa de existir o medo e, portanto, deixa de existir a barreira para a sua abertura. O medo é um perigo maior do que qualquer mal que alguém possa fazer a você. Esse medo pode envenenar toda a sua vida. Assim, permaneça aberto e confie inocente e incondicionalmente.

Você florescerá e auxiliará os outros a florescerem assim que eles ficarem conscientes de que não o enganaram nem um pouco, mas que enganaram a si mesmos. Se uma pessoa continuar a confiar em você, você não poderá continuar a enganá-la indefinidamente. A própria confiança repetidamente atirará você de volta a si mesmo.

OSHO




Recebi essa mensagem esta semana do querido amigo e mestre Suresh, sempre reverberando nas sincronicidades... então quis compartilhar, pois é tão delicada essa questão do sentimento de confiança, de cultivar esse estado permanentemente,  principalmente depois de umas tantas lambadas, e tão vital transcender velhas dores e o coração partido um dia! Confesso que, como escorpiana, tenho dificuldade de realizar essa virtude, mas sinceramente é algo que eu desejo muito.
Anabel

domingo, abril 03, 2011

Há um claro indício de que mesmo com todo o cenário de fim de mundo estamos cada vez mais próximos de um novo modo de entender-nos e perceber-nos como humanos. As tramóias e obscuros projetos não ficam por muio tempo acobertados ou escondidos, o desejo de colaborar, e as ações que se realizam em prol de vítimas desses conturbados modos que nos deslocam para uma frequencia diferente deste planeta, as muitas iniciativas de construção comum de novos caminhos de conhecimento, reconhecendo a sabedoria de antigos ritos e modos de viver, ao lado do olhar científico novo, mais holístico em lugar do especialismo alienado e fragmentador dos séculos passados recentes... aos poucos (ainda bem aos poucos, mas enfim, em andamento) despontam como novos paradigmas a flexibilizar as instituições de educação e saude.
Não há como não chorar a dor e sentir imensa compaixão neste momento de transformação em que grandes contingentes humanos de repente são arrastados deste mundo, parece sem sentido, porém tem o poder de nos colocar novamente face a face com nossa pequenez diante da Natureza e do Universo, e forçar-nos a refletir sobre a condição humana, sem disfarces tecnológicos para amenizar nada.
Então penso na sabedoria do querido poeta Mário Quintana:
"Não importa saber se a gente acredita em Deus: o importante é saber se Deus acredita na gente."

Anabel