quinta-feira, dezembro 01, 2011

amorosamente silencio

sexta-feira, novembro 25, 2011

Sobre a execução de Nísio Gomes Guarani Kaiowa - ou Quantas vidas terão que servir de bandeira atéque os povos da terra tenham seus direitos garantidos?

Amigos,

Os indígenas Guarani Kaiowá, de Mato Grosso do Sul, sem terras demarcadas num território que lhes foi subtraído historicamente, e que agora é dominado pelo agronegócio, especialmente de cana de açúcar, vinham sendo ameaçados de morte pelos capangas a serviço de grandes fazendeiros, e agora o massacre está em curso, começando com a execução do cacique Nísio Gomes, cujo corpo levaram.

A repercussão desse escabroso acontecimento e completo desrespeito aos direitos humanos tem sido mínima na mídia aqui em SP, então sinto-me no dever de dar visibilidade a essa questão. Acompanhem as notícias que circulam na internet, coloquem em seus perfis de facebook, orkut, blogs... Amigos queridos, as coisas ainda não mudaram muito desde a morte de Chico Mendes. Quantas vidas terão que servir de bandeira atéque os povos da terra tenham seus direitos garantidos?

Assinem o abaixo assinado 

Pela apuração rigorosa das violências contra os Guarani Kaiowá de Guaiviry


Algumas notícias que circularam:



Isto é muito grave.

Abraço,

Anabel Andrés

quarta-feira, novembro 23, 2011

quarta-feira, novembro 16, 2011

Vozes Bugras no Viola Minha Viola

Amigas e amigos,

Neste domingo, 20/11/2011 às 9 horas da manhã na TVCultura, nós Vozes Bugras estaremos no programa de nossa amada voz bugra maior Inezita Barroso, Viola, Minha Viola. 
Vam botá o despertador pra acordar cedo e assistir, minha gente!!!

Vozes Bugras no Viola Minha Viola
Abraços e beijos

quarta-feira, outubro 19, 2011

Certos desafios parecem desaforos! Acontecem só pra quebrar o impulso de parecermos poderosos demais, ou para nos lembrar que tudo é muito efêmero para gastarmos tempo demais lamentando nesta vida...

terça-feira, agosto 23, 2011

à medida em que desisto de ser normal, e desisto de velhas insistências ilusórias de esperança, vou descortinando momentos de pura presença e alteridade.

Anabel

segunda-feira, julho 11, 2011

Dando nome aos autores

Há na internet uma ansiedade por compartilhar o mais rápido possível algo que nos comove, ou deixa indignados, ou diz algo sobre nós, e assim divulgamos num piscar de olhos textos, artigos, poemas, etc, sem nem questionar a autoria desse material. Pois, achando muito esquisito o jeito da Clarice Lispector num texto maravilhoso, mas que não me soava a Clarice, "Mude", descobri seu verdadeiro autor, Edson Marques, e seu irreverente blog. Dali por diante, toda vez que me soa muito estranho o título, o estilo, enfim, se algo me parece indicar que a autoria não condiz com o texto, dou uma boa investigada, e quase sempre descubro que não é mesmo!!!!! Encontrei uma lista no site Recanto das Letras, onde muitos desses textos estão com seus verdadeiros autores. Vale a pena dar uma olhada. Hoje mesmo descobri que circula um poema "Amor é síntese" atribuido a Mário Quintana, que na verdade é de Mirthes Mathias. Muito bonito por sinal... Mas senti  já no titulo do poema algo muito afirmativo pra ser de Quintana...


Anabel

domingo, julho 03, 2011

Poema em linha reta


Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.
E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo.
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo. 


Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida... 


Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó principes, meus irmãos, 


Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo? 


Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra? 

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza





Álvaro de Campos

segunda-feira, junho 20, 2011

acabo de conhecer mais um caminho potente de transformação pelo corpo, a osteopatia.
fiz uma sessão semana passada, e durante a semana emergiu uma consciência que estava aprisionada nos tecidos, nos órgãos, músculos... um medo de dar o passo que sei não ter volta andava doendo muito no ciático, e na região sacro lombar, como um impedimento pra não sair andando, menos ainda correndo.
emerge um material emocional que diz que é hora de seguir meu caminho sem aquela esperança doente de ter o companheiro cúmplice ao lado, um sonho de família aconchegante... hora de sair só. dançar com amor de filha, dançar em minhas pernas livres, dançar, com amor, em mim.

anabel

terça-feira, junho 07, 2011

Ivytu ra'i

a ventania de hoje varreu mais do que o corpo da cidade, soprou sua alma, pra tirar do entorpecimento obediente do relógio quem pensa que esté seguro num pedaço de terra impermeabilizado pelo asfalto. Muitas sementes se espalharam em busca de brechas.

Anabel

terça-feira, maio 24, 2011

MANIFESTO EM REPÚDIO AO FECHAMENTO DO TEATRO DA DANÇA

A DANÇA, aqui representada pelos profissionais, intérpretes, coreógrafos, professores, produtores, pesquisadores, diretores de companhias, cooperativas, universidades, movimentos e coletivos organizados, trabalhadores da cultura do estado de São Paulo, REPUDIAM A DECISÃO AUTORITÁRIA do Governo do Estado de São Paulo, Sr. Geraldo Alckmin que, junto ao Secretário do Estado da Cultura, Sr. Andrea Matarazzo, ENCERRAM de forma arbitrária as atividades desenvolvidas no TEATRO DE DANÇA.
Ambos, Alckmin e Matarazzo, desconhecem e desrespeitam o legado histórico e artístico deste espaço cênico. Ambos não sabem que a produção, circulação e fruição dos bens culturais é um direito constitucional, e têm que ser preservados. Desconhecem as necessidades e especificidades da DANÇA, tanto quanto dos demais segmentos – circo, teatro, música, literatura, poesia, cinema, dentre outros.


Não sabem que todas as manifestações necessitam ser contempladas numa visão, além do mundo artístico-cultural, e principalmente, distante da política de eventos, política que se instaurou no estado de São Paulo nos últimos 20 anos, à revelia dos artistas e da sociedade.


A classe artística indignada com o fechamento do TEATRO DE DANÇA reivindica a sua manutenção !
Reivindica a participação plena da sociedade nos processos decisórios das políticas públicas voltadas à cultura.


ASSINEM ESTE MANIFESTO ATRAVÉS DO LINK
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N10308










segunda-feira, maio 23, 2011

secret axis II leitura










Nesta leitura do Secret Axis, parceria com Vanderlei Lucentini, apresentada em setembro de 2010 no Teatro João Caetano, dentro do Projeto Vocacional Apresenta na ação em parceria com a Associação BrP, Encontros com a Performance,  minha proposta foi incorporar um estado meditativo sem resistência à sonosfera em sua multiplicidade de estímulos, porém, diferente da primeira leitura, mantendo uma frequencia interna que permite a resposta em lugar da reação. A participação da criança foi espontânea no ensaio, e incorporada na apresentação, reafirmando a conexão interna com o lugar onde mora a criança de cada pessoa, o âmago pulsante que, sob a couraça muscular, permanece vivo.

Anabel

domingo, maio 22, 2011

sobre 21/05/2011

Foi dia longo, bonito, cheio de sentido, afeto, desafios... tudo saiu como planejado, já que planejamos deixar o fluxo dos acontecimento realizar-se no tempo das pessoas, da cultura tradicional, num plano de ação sem rigidez. Nada como planejado quanto ao alinhavado para apresentação, no fim fica o que importa. É tudo agora ali na aldeia Guarani. Respeito profundo pela sabedoria dos mais velhos, pela espontaneidade das crianças, pelo que cada um tem a dizer, mulheres reafirmando seu espaço e força poitica, e assim os  combinados se realizam sem desapontamento nem pressão de produtividade consumista. Degustação do momento sagrado. Ritual e celebração do encontro. Cantar e dançar pra conectar e conversar com o divino. Agradecimento.
Que aberração a catequese, na arrogância de julgar que poderia ter algo melhor a oferecer como deus!

Anabel

quinta-feira, maio 19, 2011

segunda-feira, maio 02, 2011

Se você quer um ano de prosperidade, cultive trigo. Se você quer dez anos de prosperidade, cultive árvores. Se você quer cem anos de prosperidade, cultive pessoas.


(Provérbio Chinês)

Campo de trigo com lavrador, de Van Gogh

(esta reprodução eu trouxe de um site muito interessante, http://frolesmirandesas.blogspot.com/ dá uma olhada lá!)
Pode ser mais simples? Pode ser mais humano? Pode ser mais relaxado? Pode ser mais afetuoso? Pode ser mais generoso? Pode ser mais honesto? Pode ser mais divertido? Pode ser mais? Precisa ser mais?


Anabel

segunda-feira, abril 25, 2011

sexta-feira, abril 15, 2011

Num canto de Emily - Virada Cultural 2011

Num canto de Emily



Performance de Anabel Andrés

Concepção Anabel Andrés e Claudinei Roberto


Sábado, 16/04/2011 às 20h


Ateliê OÇO – Galeria Cinesol
Praça Carlos Gomes, 115 Liberdade

quarta-feira, abril 13, 2011

Trabalhando na beira do momento de largar e deixar a obra ter sua vida própria daqui por diante, registrada no circuladô.
Difícil é desistir de tanto acabar!
Mas esta vez é a última.
Juro (que vou tentar...)

Anabel

quinta-feira, abril 07, 2011

Confiança

CONFIANÇA

Lembre-se sempre de que, custe o que custar, você não deveria se tornar uma pessoa desconfiada. Mesmo se sua confiança permitir que os outros o enganem, isso será melhor do que não confiar.

É muito fácil confiar quando todos são amorosos e ninguém o está enganando. Mas, mesmo se todo o mundo for falacioso e todos estiverem dispostos a enganar você – e eles somente podem enganá-lo quando você confia -, então, também, continue a confiar. Nunca perca a confiança na confiança, não importa o preço, e você nunca será um perdedor, porque a própria confiança é o fim supremo. Ela não deveria ser um meio para algo mais, pois ela tem o seu próprio valor intrínseco.

Se você puder confiar, você permanecerá aberto. As pessoas ficam fechadas como uma defesa, para que ninguém possa enganá-las ou tirar vantagem delas. Deixe que elas tirem vantagem de você! Se você insistir em confiar, um belo florescimento acontecerá, porque não haverá medo. O medo é que as pessoas o enganem, mas, uma vez aceito isso, deixa de existir o medo e, portanto, deixa de existir a barreira para a sua abertura. O medo é um perigo maior do que qualquer mal que alguém possa fazer a você. Esse medo pode envenenar toda a sua vida. Assim, permaneça aberto e confie inocente e incondicionalmente.

Você florescerá e auxiliará os outros a florescerem assim que eles ficarem conscientes de que não o enganaram nem um pouco, mas que enganaram a si mesmos. Se uma pessoa continuar a confiar em você, você não poderá continuar a enganá-la indefinidamente. A própria confiança repetidamente atirará você de volta a si mesmo.

OSHO




Recebi essa mensagem esta semana do querido amigo e mestre Suresh, sempre reverberando nas sincronicidades... então quis compartilhar, pois é tão delicada essa questão do sentimento de confiança, de cultivar esse estado permanentemente,  principalmente depois de umas tantas lambadas, e tão vital transcender velhas dores e o coração partido um dia! Confesso que, como escorpiana, tenho dificuldade de realizar essa virtude, mas sinceramente é algo que eu desejo muito.
Anabel

domingo, abril 03, 2011

Há um claro indício de que mesmo com todo o cenário de fim de mundo estamos cada vez mais próximos de um novo modo de entender-nos e perceber-nos como humanos. As tramóias e obscuros projetos não ficam por muio tempo acobertados ou escondidos, o desejo de colaborar, e as ações que se realizam em prol de vítimas desses conturbados modos que nos deslocam para uma frequencia diferente deste planeta, as muitas iniciativas de construção comum de novos caminhos de conhecimento, reconhecendo a sabedoria de antigos ritos e modos de viver, ao lado do olhar científico novo, mais holístico em lugar do especialismo alienado e fragmentador dos séculos passados recentes... aos poucos (ainda bem aos poucos, mas enfim, em andamento) despontam como novos paradigmas a flexibilizar as instituições de educação e saude.
Não há como não chorar a dor e sentir imensa compaixão neste momento de transformação em que grandes contingentes humanos de repente são arrastados deste mundo, parece sem sentido, porém tem o poder de nos colocar novamente face a face com nossa pequenez diante da Natureza e do Universo, e forçar-nos a refletir sobre a condição humana, sem disfarces tecnológicos para amenizar nada.
Então penso na sabedoria do querido poeta Mário Quintana:
"Não importa saber se a gente acredita em Deus: o importante é saber se Deus acredita na gente."

Anabel

quinta-feira, março 17, 2011

Testando o limite

Claro que eu posso olhar todos os aspectos positivos e saudáveis das experiências mais difíceis, aprender, etc... Eu quero ver o lado bom das coisas! Mas o desrespeito de grandes empresas para com o consumidor exige tomar outro tipo de atitude. Continuo sem computador, amigos! E como isso não afeta nem um pouco a Itautec ou a Longtec, publiquei minha reclamação - http://www.reclameaqui.com.br/1149720/itautec/desamparo-e-descaso-com-o-consumidor/
Às vezes não dá pra deixar a anabélica descansar!
Bem, boa sorte pra todos que possam algum dia sentir a reverberação dessa reclamação como um atendimento mais interessado, no mínimo, dessas empresas.
Anabel

sexta-feira, março 04, 2011

Estou há mais de mês sem computador. Faz falta, mas também faz um bem!!!! Parece que o tempo fica mais dilatado para estar simplesmente aqui. Uso o da biblioteca... já passo pelo Parque Ibirapuera, pela UMAPAZ, uso de outro jeito mais colorido e respirante as horas do dia... Mas perco muita informação, é verdade... e absorvo menos ondas eletromagnéticas, dessas frequencias que a gnt não sabe porque tá se sentindo cheia de ansiedades e agitações.
Perdi trabalho, é verdade... isso não é fácil, e me dá raiva da assistência técnica da Longtec (Itautec) que trata os clientes com descaso, sem dar satisfações sobre como andam as coisas, e quando ligo tem a arrogância de dizer, depois de um mês, que tem muito trabalho e talvez não façam o reparo ainda hoje, tendo já a peça desde ontem disponível... vai entender, o que é prioridade pra uns caras desses...
Mas em outros tantos aspectos, foi muito saudável ter esse intervalo desconectada da rede, sentindo os pés no chão.

Anabel

terça-feira, janeiro 11, 2011

Vou me espaçar um pouco... um pouco mais.
Espero me ensolarar um tanto,
Mas se for pra enchuvalhar, que seja.
Ando louca pra me ver em outro lugar!