Bota pra tocar

terça-feira, dezembro 28, 2010

"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,

a que se deu o nome de ano,foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.

"Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e

outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente."



(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, dezembro 22, 2010

Corpo já tava avisando: tá pegando pesado!
Pegou sacro e torácicas este ano de muuuuuuito trabalho e pouco respiro... mais claro impossível!!!!
Ainda bem que meus anjos terapeutas corporais existem! Sem eles fica tudo muito mais difícil...
Bel

sexta-feira, dezembro 03, 2010



Cesta!!!

torcendo para a filha...

Vox Brasilis – Em Tempo de Natal

Em um país onde a voz é uma das formas mais evidentes de expressão artística, é justo que possamos conhecer um pouco mais sobre as vozes que ecoam desta Terra Brasilis.
Por isso, a pluralidade da voz representada por grupos vocais e suas mais variadas formas de expressão, estão em foco no projeto Vox Brasilis. São os distintos "olhares" que cada grupo imprime em seus arranjos, cada um com seu estilo em uma enorme riqueza de diversidades, típica de nosso país. Os grupos trazem um repertório focado no tema natalino e, na abertura, há apresentação de Folia de Reis.


PROGRAMAÇÃO

17 de dezembro
Sexta - Os Mensageiros dos Santos Reis e Vozes Bugras

Os Mensageiros dos Santos Reis, grupo composto pelos integrantes de Os Favoritos da Catira, segue a tradição da Folia de Reis e canta em coral caipira as toadas de adoração, louvação e saudação. Acompanhados de viola caipira, violões, rabeca ou violino, cavaquinho, caixa de folia e pandeiro, leva à frente os “palhaços”, personagens que representam os defensores do Menino Jesus, soldados do Rei Herodes convertidos ao cristianismo. Já Vozes Bugras apresenta canções, contos, ritos, mitos e lendas que remetem à identidade bugra-cabocla-mulata-mameluca-cafusa brasileira e é composto por sete mulheres.



18 de dezembro
Sábado - A Quatro Vozes

O grupo mineiro é formado pelas irmãs Dora, Jurema, Jussara e sua sobrinha Thatiana. Elas trabalham com a música popular brasileira e diversos elementos da cultura originária das mesclas do branco, negro e índio.



19 de dezembro
Domingo - Boca Livre

Um dos mais consagrados grupos vocais da MPB formou-se em 1978, no Rio de Janeiro, e um ano depois já lançava seu primeiro disco de forma independente. Com estilo refinado, se destaca por suas composições e também pelas belas versões de outros compositores. Seus arranjos instrumentais e, principalmente, vocais fogem da métrica convencional utilizada por outros grupos, através do uso de acordes vocais dissonantes e revezamentos nos solos. Com Zé Renato, Maurício Maestro, David Tygel e Lourenço Baeta.



21 de dezembro
Terça - NOP (Núcleo Orgânico Performático)

O grupo de sete integrantes, formado a partir da extinta Orquestra Orgânica Performática, criado pelo músico e compositor Stênio Mendes e com a colaboração de Fernando Barba (Barbatuques), mostra um trabalho experimental que utiliza as sonoridades orgânicas do corpo, por meio da percussão corporal, exploração de recursos vocais e instrumentos feitos de materiais alternativos como meio de experimentação artística de novas possibilidades criativas. Quando a estes elementos juntam-se canções natalinas, temos um registro inusitado e original do tema.



22 de dezembro
Quarta - Grupo Tarumã

Fundado em 1990, o grupo paulistano formado por Carlos Moreno, Daniel Sanches, Alê Moreno e Marcelo Barúm traz em sua história encontros com grandes nomes, em shows e discos, além de uma trajetória em Festivais, graças à qualidade do trabalho, que inclui belos arranjos vocais e instrumentais, que transitam em polirritmia pela moderna música brasileira. A inserção de canções natalinas vem reforçar o bom gosto e a versatilidade deste grupo que já conta com mais de dez anos de carreira.


SERVIÇO
Data: De 17 a 22 de dezembro
Horário: Sexta a terça às 13h

Local: Térreo
Rua Álvares Penteado, 112 - Centro

De terça a domingo – 10h às 19h

Entrada Franca
Senhas distribuídas uma hora antes do evento

Classificação indicativa: Livre

sexta-feira, novembro 12, 2010

Perfor1

Programação CCE_SP


Dia 13/11 Abertura, 14 horas



Mesas de debates – sempre às 14h30

13/11 – pedagogia da performance Convidado especial: Valentin Torrens (professor, performer, autor de Pedagogia de la Performance) com Bia Medeiros (Profa. UnB, performer, coordenadora do grupo Corpos Informáticos), Naira Ciotti (performer, profa. do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRN) e Fernando Villar (professor UnB, performer e diretor teatral).



14/11 – performance e tecnologia com Álvaro Uña (diretor da emotique.com e artista visual), Otávio Donasci (Professor PUC-SP, artista multimidia e videoperformer) Guto Lacaz (arquiteto e artista plástico) e Rogério Borovik (performer e artista visual).



15/11 – performance e políticas culturais com Lucio Agra (poeta, performer, professor da Graduação em Comunicação das Artes do Corpo PUC-SP), na área de Performance., Julio Mendonça (poeta, foi diretor do Depto. de Ações Culturais de S. Bernardo do Campo e é consultor do Instituto Pólis), Márcio Almeida (artista plástico e coordenador geral do SPA das Artes) e Maria das Graças dos Santos (Profa Mestre USP, ex-responsável pelo Núcleo Fomento Teatro SMC/SP).



Palestras – sempre às 17h30



13/11 – Performance e psiquismo

Artur Matuck ( professor, escritor e artista)



14/11 – Projeto Descanso

Gustavo São Jorge (performer, mestre em estética e historia da arte USP)



15/11 – O que é o Projeto Vocacional

Luciana Schwinden (atriz e coordenadora do Projeto Vocacional SMC/SP)




Performances, 20 horas



Dia 13/11

Cabelódromo, Grasiele Sousa (15')

futuro dito, Gustavo São Jorge (30')

Lembrança da Bahia, Nicephor Herrantes (15')



Dia 14/11

Passos Inominados, Coletivo Contratempos (30’)

Atame: a angústia do precário, Wilton Azevedo e Grupo InterActo (30')

Secret Axis, Anabel Andres/Vanderlei Lucentini (12')



Dia 15/11

Re+alejo, Marko Concá (30')

Infância, Samira Br (15’)

Secofelia, Josefa Pereira (20’)





Programação Cine Galpão

Dia 16/11

Performances, 20 horas


Inconstâncias, Amor Experimental (30')

Dermatoglifia, Lilian Soarez (20’)

Mostra de Registros Performáticos (60’)

Encerramento



Endereços:

CCE_SP
Av. Angélica, 1091
Higienópolis - SP
Fone: (11) 3822-2627



Cine Galpão
Rua Scipião, 138
Lapa - SP
Fone: (11) 2768-7775

Inscrições Gratuitas, porém limitadas pelo e-mail: brperfor1@gmail.com

sábado, novembro 06, 2010

criando gato

Agora meu gato tá chegando na adolescência... anda recebndo a visita de uma gata todo fim de tarde, e hoje parece que a coisa avançou muito! Parecem namorados, quando um sai o outo fica miando daquele jeito meio sentido de gato abandonado.  Acho que ela tá realmente a fim, não sai aqui da porta, mesmo com minha presença, coisa que até ontem a fazia chispar. Também estamos ficando amigas. ou amigos... ainda não consegui chegar tão perto pra conferir.
Mas ele é muito bonachão... castrado cedo, tranquilinho... e ela parece que tá mesmo no cio, pedindo um chameguinho dele... será que ele vai aprender a namorar apesar do instinto roubado?
Por enquanto ele me lembra aqueles leões das savanas, que fica bem bonitão naquela pose semi deitada só observando... enquanto a fêmea cuida do resto!
Acabo de notar que ela tem 3 cores, dizem que só as fêmeas tem essa pelagem.
Chi... já vi que vai ficar miando a noite toda aqui embaixo... paixão de primavera...

Anabel

sexta-feira, outubro 22, 2010

Gibrando aos 46

Caminho para sempre nestas praias
Entre a areia e a espuma.
Gibran Khalil Gibran - "Arei a e Espuma"
A maré alta apagará minhas pegadas.
E o vento dissipará a espuma.
Mas o mar e a praia permanecerão
Para sempre.
____________________________

Uma vez, enchi minha mão de neblina.
Depois, abri-a; eis que a neblina era um verme.
Fechei e abri novamente minha mão, e lá estava um pássaro.
E novamente fechei e abri minha mão, e em seu côncavo, erguia-se um homem de face triste, virada para cima.
Fechei minha mão mais uma vez e quando a abri, não havia nada senão neblina.
Mas ouvi uma canção de inexcedível doçura.
________________________________

Coisa estranha, o desejo de certos prazeres é uma parte de minha dor.
________________________________

Um senso de humor é um senso de proporção.


Gibran Khalil Gibran, in "Areia e Espuma"


Há tanto tempo não lia Gibran! Reencontrá-lo neste momento de reflexão em que me olho quase aos 46 parece tão providencial. É tão iluminador que me dá vontade de blogar o livro todo, que é desejo de devorar no contentamento de reconhecer-me, mas também de degustar lentamente na simplicidade profunda dos insights, lampejos internos.
Também reencontrei Hermann Hesse e sua "Arte dos Ociosos", trazendo a vitalidade do corpo, as indagações do espírito, e celebrando a indissociabilidade desses aspectos do humano. E agora me assopra a memória Walt Whitman, com quem vou me reencontrar daqui a pouco dizendo que a alma é o corpo e o corpo é a alma, sem tirar nem por.
E penso nessa minha trajetória bailarina... e no desapego que necessito para dançar em novos horizontes que inevitavelmente vem surgindo.
Não necessariamente às reviravoltas, mas certamente a grande lei sempre se cumpre: MUDANÇA. 
E continuo me atrapalhando com alguns passos...


Anabel

quinta-feira, outubro 07, 2010

“O verbo assumir é um verbo transitivo e que pode ter como objeto o próprio sujeito que assim se assume. (...) Uma das tarefas mais importantes da prática educativo-crítica é propiciar as condições em que os educandos em suas relações uns com os outros e todos com o professpr ou professora ensaiam a experiência profunda de assumir-se. Assumir-se como ser social e histórico, como ser pensante, comunicante, transformador, criador, realizador de sonhos, capaz de ter raiva porque capaz de amar. Assumir-se como sujeito porque capaz de reconhecer-se como objeto. A asunção de nós mesmos não significa a exclusão dos outros. É a “outredade” do “não eu”, ou do tu, que me faz assumir a radicalidade do meu eu.”
Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa, Paulo Freire, SP, Paz e Terra, 1996, p.46

sexta-feira, agosto 20, 2010

Vivos e vendo!

Lembro de quando eu era uma adolescente meio bicho grilo nos anos 70/80, lendo Revista Planeta, e sonhando/apostando em grandes mudanças, que pareciam uma grande fantasia para muita gente, tanto as consequencias catastróficas, quanto soluções alternativas... Aquecimento global, escassez da água potável, autogestão, agricultura de subsistência, reconhecimento de saberes tradicionais, ventos, água e sol como fontes de energia renovável substituindo o petróleo, ciência e tecnologia a serviço de uma cultura de paz, crianças índigo e cristais, e tantas outras questões e temas que cotidianamente lemos nos jornais, esperançosos ou alarmados...
Bem, o "quem viver verá", para mim, nunca foi tão agora. 
Quando avalio o contexto em que vivo, reconheço o  valor de tantas iniciativas que atestam a transformação de paradigmas  em nossa era, em todas as áreas, e reconheço uma geração que de fato sabe a que veio, índigos e cristais já adultescendo, e sei que quem é vivo, se quiser, pode ver o novo tempo aquariano realizando-se agora.
Não precisa sair dançando pela rua com roupa colorida e flores na cabeça, mas se for afim, vamos nessa!
Claro que há muito dessa cultura de ganância e destruição para equilibrar, e talvez sempre precisemos coexistir com esse "ponto de vista" e consequente atitude, mas ganhamos força, somos muitos, não estamos mais escondidos, não temos vergonha, nem medo, e a transformação é agora inexorável. Não há alternativa a não ser a mudança!
E é das atitudes cotidianas que é feita.

Alguns links que podem dar uma idéia do que rola por aqui:

Terra Madre
Indígenas digitais
Greenpeace
Carta da Terra


E tem mais na sessão "se liga" aqui do blog também.


When the moon is in the seventh house...
Quando o sol se derramar em toda a sua essência...
No novo tempo, apesar dos perigos...
Eu canto porque o instante existe...


Beijo,
Anabel

Imagem: Miró , "chanteurs des rues"

terça-feira, agosto 17, 2010

Telefónica no topo do ranking do desrespeito ao consumidor

Solicitei o cancelamento da TV Digital Telefónica em março deste ano, mas, como há um treinamento da empresa para isso, sob muita insistência dos atendentes fui convencida (é isso mesmo, mais uma trouxa...) a realizar apenas o "desligue" da mesma por 4 meses, após o qual esta "automaticamente" seria religada...

Em julho, porém, não fui notificada de que esse prazo estava chegando ao seu limite, o que demonstraria um compromisso com a transparência e respeito ao consumidor por parte da empresa, e, em função de estar com muitos outros compromissos, esqueci completamente de dar uma devolutiva, já que o equipamento decodificador nem se encontra à vista, pois o guardei por estar fora de uso.

Agora recebi uma fatura no valor de R$ 76,28 com vencimento em 21/08/2010, à qual recorri através da Ouvidoria (tel.: 0800-775-1212), pois como consumidora considero-me lesada, vítima de um abuso, um golpe (desrespeito à minha solicitação inicial, insistência e convencimento do consumidor pela exaustão, falta de transparência no processo de religue, e extorsão via fatura), que em menos de 24h chegou à conclusão de manter a cobrança.

Mantendo meu protesto e recusa de pagar, por estar sendo lesada como consumidora, estou contando com orientação e representação no PROCON  (tel.: 151), na ANATEL (tel.: 133) e nos meios de comunicação desta cidade, também como forma de alertar outros cidadãos, que podem cair, como eu, nesse tipo de procedimento obscuro de diversos tipos de serviços que poderiam ser comodidades.

Anabel

domingo, agosto 01, 2010

Vídeo Índio Brasil 2010

Na telona, visões e versões sobre o que é ser indígena. É a mostra nacional Vídeo Índio Brasil que vai de 31 de julho até 7 de agosto com exibição de vídeos e filmes em 112 cidades brasileiras.
Muitas produções são de autoria, execução e edição de indígenas, como o projeto Vídeo nas Aldeias. O Vídeo Índio Brasil busca revelar a identidade e as tradições das populações indígenas, visando fortalecer e divulgar a cultura indígena no Mato Grosso do Sul e no Brasil.  (Fonte: http://www.ufgd.edu.br/noticias/video-indio-brasil-mostra-de-filmes-sobre-a-realidade-indigena-1)

Além das cópias com os filmes selecionados para a mostra audiovisual, as cidades selecionadas receberão da produção do Vídeo Índio Brasil, temas relacionados ao Seminário “A Imagem dos Povos Indígenas no Século 21”, que irá para discutir as novas tecnologias da comunicação e o espaço que o índio tem na mídia brasileira.


Cada coordenador local terá a liberdade para realizar atividades paralelas relacionadas com o evento, como oficinas, debates, seminário, mostras regionais e locais, exposições e demais apresentações

Assista a vinheta:

http://www.youtube.com/watch?v=FC6wkDiWT-s&feature=player_embedded

Confira as cidades de São Paulo que acolhem a mostra:
São Paulo


Queluz

Rio Claro

Jacareí

Atibaia

São Bernardo do Campo

Miracatu/Iguape/Itariri

Osasco

Bauru

Joanópolis

Mais informações no site: http://www.videoindiobrasil.org.br/

quarta-feira, julho 21, 2010

Vozes Bugras no Festival de Inverno de São Bento do Sapucaí



Sábado, 24/07/2010 às 22h
Pça. Dr. Adhemar de Barros
Espaço Tenda de Inverno

Arte no Inverno da Serra 2010

São Bento do Sapucaí - SP

_____________________________________________

Uma alegria enorme tocar outra vez nesta cidade linda e aconchegante, onde somos recebidas com tanto carinho! Cantar na Serra da Mantiqueira é uma benção!!!!
Melhor ainda celebrar esse momentum com amigos!

Anabel

domingo, julho 11, 2010

Rito de passagem

Hoje, voltando eu do trabalho, minha filha telefona e conta que tem um dente mole que vai cair. Bem, é de se esperar, talvez, que entre 4 e 6 anos comecem a cair os primeiros dentes de leite, mas... uau! aquela notícia me pegou de jeito. Quase argumentei, dizendo que era muito cedo... quase disse "não pode ser!!!!" Me deu um frio na  barriga. Feito um atestado de que o tempo não pára, nem volta. Uma sensação ambígua entre a alegria e a saudade...
O melhor é celebrar!!!! Abocanhar a vida e seus sabores tantos.


Anabel

sexta-feira, julho 09, 2010

Língua Mãe

Não sinto o mesmo gosto nas palavras oiseau e pássaro.
Embora elas tenham o mesmo sentido.
Será pelo gosto  que vem de mãe? de língua mãe?
Seria porque eu não tenho amor pela língua de Flaubert?
Mas eu tenho.
(Faço registro porque tenho a estupefação de não sentir com a mesma riqueza as palavras oiseau e pássaro)
Penso que seja porque a palavra pássaro em mim repercute a infância
E oiseau não repercute.
Penso que a palavra pássaro carrega até hoje
Nela o menino que ia de tarde pra debaixo das árvores a ouvir os pássaros.
Nas folhas daquelas árvores não tinha oiseaux
Só tinha pássaros.
É o que me ocorre sobre língua mãe.


Manoel de Barros, em O fazedor de amanhecer, ed. Salamandra

sábado, junho 26, 2010

Debaixo D'agua

Arnaldo Antunes


Debaixo d'água tudo era mais bonito

Mais azul, mais colorido

Só faltava respirar

Mas tinha que respirar



Debaixo d'água se formando como um feto

Sereno, confortável, amado, completo

Sem chão, sem teto, sem contato com o ar

Mas tinha que respirar

Todo dia

Todo dia, todo dia

Todo dia

Todo dia, todo dia



Debaixo d'água por encanto sem sorriso e sem pranto

Sem lamento e sem saber o quanto

Esse momento poderia durar

Mas tinha que respirar



Debaixo d'água ficaria para sempre, ficaria contente

Longe de toda gente, para sempre no fundo do mar

Mas tinha que respirar

Todo dia

Todo dia, todo dia

todo dia

Todo dia, todo dia



Debaixo d'água, protegido, salvo, fora de perigo

Aliviado, sem perdão e sem pecado

Sem fome, sem frio, sem medo, sem vontade de voltar

Mas tinha que respirar



Debaixo d'água tudo era mais bonito

Mais azul, mais colorido

Só faltava respirar

Mas tinha que respirar

Todo dia



Agora que agora é nunca

Agora posso recuar

Agora sinto minha tumba

Agora o peito a retumbar

Agora a última resposta

Agora quartos de hospitais

Agora abrem uma porta

Agora não se chora mais

Agora a chuva evapora

Agora ainda não choveu

Agora tenho mais memória

Agora tenho o que foi meu

Agora passa a paisagem

Agora não me despedi

Agora compro uma passagem

Agora ainda estou aqui

Agora sinto muita sede

Agora já é madrugada

Agora diante da parede

Agora falta uma palavra

Agora o vento no cabelo

Agora toda minha roupa

Agora volta pro novelo

Agora a língua em minha boca

Agora meu avô já vive

Agora meu filho nasceu

Agora o filho que não tive

Agora a criança sou eu

Agora sinto um gosto doce

Agora vejo a cor azul

Agora a mão de quem me trouxe

Agora é só meu corpo nu

Agora eu nasco lá de fora

Agora minha mãe é o ar

Agora eu vivo na barriga

Agora eu brigo pra voltar

Agora

Agora

Agora

Imagem colhida em http://www.imagensporfavor.com/buscar/2/me+nsagens.htm

____________________________________________________
 
Certamente dá vontade de ficar mergulhado, e tantas vezes a gente segura o ar até não mais poder, até chegar o momento irreversível de renovar, crescer, soltar, se encher, trocar, respirar. Agora.
 
Anabel

Laila tirando onda com sua gaita 2

Laila tirando onda com sua gaita

Vozes Bugras no Aúthos Pagano



sábado, junho 12, 2010

Abrindo os braços para a vida, respirando melhor e olhando com mais encantamento para o momento presente. Eu sei que mereço o melhor quando dou o melhor de mim. E eu dou.

Bel

quinta-feira, junho 03, 2010

#2 Idiossincrasias do Sonoro


por Vanderlei Lucentini

Estamos envoltos no sonoro desde o estado fetal. O sonoro como maneira de ouvir, ver, sentir, reagir de maneira pessoal à ação de agentes externos. Ouvido onidirecional. Ouvindo e se abrindo em todas as direções.


Neste encontro do AVLAB, pensou-se no “ouvir” o sonoro de forma sutil e arcaica que contagia outras linguagens artísticas. A... poesia sonora, o corpo sonoro, o totem vídeo sonoro, a performance sonora. O gestual poético verbovocovisual, o gestual das criaturas e a ação sônica no corpo sem aparato tecnológico.

Para o programa foram convidados Wilton Azevedo que expande a poesia para multimeios digitais partindo o enfoque sonoro. Otávio Donasci, criador das videocriaturas que desencadeou diversos procedimentos na relação corpo/máquina. O encontro será aberto com a estréia mundial a obra Secret Axis criada por onze compositores de diversas partes do planeta com o corpo performático de Anabel Andrés.Vila Nova Cachoeirinha

Local CCJ

Av.Deputado Emílio Carlos, 3.641 (ao lado do terminal Cachoeirinha)

Tel: (11) 3984-2466Ver mais

domingo, maio 30, 2010

O último Baile do Cartola Club

Domingo, 30/05/2010 realiza-se o último baile do CARTOLA CLUB!


Manifesto
"Cartola Club" não pode fechar suas portas!!!
onde deslizaram os pés de valsa, de tango e de samba canção?
onde estará a memória em movimento?
o baile estará na saudades?
.....lembrar, deixem-me lembrar
meus tempos de rapaz no Brás.....
.....se lembra quando toda modinha falava de amor...
.....arrasta a sandália ai morena!
arrasta a sandália ai morena.....
.... e a sua voz murmurando
são dois pra cá, dois pra lá...
por Fábio Villardi, Coordenador Geral do Projeto Dança Vocacional, SME- DEC
_________________________________________________________________




Queridos parceiros,

O tradicional Cartola Club, patrimônio histórico cultural de São Paulo, e ponto de encontro de uma comunidade de frequentadores fiéis da melhor idade, está fechando suas portas!!!!!! Amanhã é o último baile!!!!!!!
D. Amélia Rosa do Nascimento,  Artista Vocacionada frequentadora do grupo da melhor idade do CEU Feitiço da Vila, que frequenta o clube, foi quem deu a notícia, e junto com a Coordenadora de Cultura Maira Andrea P. do Amaral, buscavam algum modo de manifestar sua indignação não só pelo descaso com o patrimônio que é o Clube, mas com a comunidade de 3ª idade que perde um espaço social e cultural da maior importância, em silêncio e invisibilidade!
Eu, Anabel (coloco o nome para que não pensem que é daqueles trotes sensacionalistas), liguei para lá e a funcionária confirmou. Domingo, 30/05/2010 é o último baile do CARTOLA CLUB! E não saiu em nenhum jornal, rádio, televisão, nem mesmo internet, mas é real.
Como artistas e cidadãos precisamos dar visibilidade a esse acontecimento, à comunidade da melhor idade, e buscar meios que possam viabilizar a continuidade da atividade do  Cartola Club!
Manifestações, abaixo assinados, blogs.
Ou você acha que as coisas passam, e é assim mesmo? 
Domingo, 30/05/2010 realiza-se o último baile do CARTOLA CLUB!


Anabel


PS: a única manifestação que encontrei na internet foi no blog de Eduardo Temperini , que presenciou o penúltimo baile, ontem à noite.
PS: talvez torná-lo um Ponto de Cultura, Programa Cultura Viva do Minc?

domingo, maio 23, 2010

Crítica Genética


Para mim é muito especial assistir a este espetáculo da Cia. Danças, que marca a síntese e a transcendência dos os elementos de diversas linguagens que se fundem na linguagem própria da cia criada e dirigida por Cláudia de Souza. Sinto-me contemplada, não só por "me" reconhecer em Crítica Genética, de cujo processo participei tão intensa e profundamente até dezembro do ano passado, mas por todos esses anos do processo que é possível vislumbrar ali, para quem acompanha o trabalho da cia. Parabéns, parceiros!
Amigos, não percam!!!!!

Anabel

quarta-feira, maio 12, 2010

Confiança

... E já que decidi trazer o deslumbramento e a alegria pra minha vida outra vez, como resgatá-los, senão confiando na vida e nas pessoas novamente? Parece fácil falando, mas é um trabalho e tanto.. algo precisa morrer... é preciso desapegar dos instrumentais de defesa... e às vezes eles são a própria idéia que fazemos de nós! Mas está decidido, escolhido, e semeado.
Assim, meu amigo Suresh, que tem um cantinho muito especial onde nos encontramos para meditações dinâmicas, me envia esta semana uma mensagem do Osho, mestre querido, polêmico e contraditório, mas sem dúvida muito sábio.

Bel

_______________________________________________________


"CONFIANÇA


Lembre-se sempre de que, custe o que custar, você não deveria se tornar uma pessoa desconfiada. Mesmo se sua confiança permitir que os outros o enganem, isso será melhor do que não confiar.

É muito fácil confiar quando todos são amorosos e ninguém o está enganando. Mas, mesmo se todo o mundo for falacioso e todos estiverem dispostos a enganar você – e eles somente podem enganá-lo quando você confia -, então, também, continue a confiar. Nunca perca a confiança na confiança, não importa o preço, e você nunca será um perdedor, porque a própria confiança é o fim supremo. Ela não deveria ser um meio para algo mais, pois ela tem o seu próprio valor intrínseco.

Se você puder confiar, você permanecerá aberto. As pessoas ficam fechadas como uma defesa, para que ninguém possa enganá-las ou tirar vantagem delas. Deixe que elas tirem vantagem de você! Se você insistir em confiar, um belo florescimento acontecerá, porque não haverá medo. O medo é que as pessoas o enganem, mas, uma vez aceito isso, deixa de existir o medo e, portanto, deixa de existir a barreira para a sua abertura. O medo é um perigo maior do que qualquer mal que alguém possa fazer a você. Esse medo pode envenenar toda a sua vida. Assim, permaneça aberto e confie inocente e incondicionalmente.

Você florescerá e auxiliará os outros a florescerem assim que eles ficarem conscientes de que não o enganaram nem um pouco, mas que enganaram a si mesmos. Se uma pessoa continuar a confiar em você, você não poderá continuar a enganá-la indefinidamente. A própria confiança repetidamente atirará você de volta a si mesmo."

Osho

domingo, maio 09, 2010

"Viver em abundância é a única coisa espiritual no mundo.


Basta olhar para a existência e sua abundância.

Qual a necessidade de tantas flores?

Apenas rosas teria sido suficiente.

Mas a existência é abundante.

Milhões e milhões de flores.

Milhões de aves, milhões de animais.

A natureza não é ascética.

Abundância é a própria natureza da existência.

Essa riqueza é o próprio cerne de que a existência não acredita em pobreza

E meu esforço é trazer o homem de volta para seu “Eu natural".



Osho

_________________________________________________________
 
Compartilhando essa deliciosa mensagem que me foi enviada esses dias por um amigo querido, que acabo de reencontrar graças à generosidade do universo.
Bel

domingo, abril 25, 2010

Não é acaso encontrar determinadas pessoas em cada momento da nossa existência. E das formas mais interessantes às mais "corriqueiras", se é que há algo corriqueiro...
Um email, um sinal, uma carta de taro, um desconhecido profundamente acolhedor, uma garotinha vestida de rosa me olha, sorri e me dá um hibisco rosa, um parceiro me leva à ópera metáfora do caminho espiritual através das pedras, outra parceira lembra a emoção do caminho pessoal e intransferível das primeiras experiências com dança teatro...
Reconecto a valores em que me reconheço, já os sinto de outro modo, mas fazem sentido ainda. Conquistar o estado de inocência depois de viver os desafios do ego, é sabedoria que almejo.
Amigos e parceiros em sintonia sempre pintam pra confirmar a bem aventuraça da trilha escolhida. E cada detalhe do mundo ao redor.


Anabel

Imagem: Hibiscus sinensis Hort.- Hibisco- mimo-de-vênus,vermelho- recebendo a visita de um besouro - Praia da Vila, Imbituba/SC- Fevereiro de 2009- Foto de LUIZA PITTIGLIANI BERNARDINO. site http://descansando.pasold.adv.br/ff/index.php

quinta-feira, abril 22, 2010

Conte-me e eu esqueço. Mostre-me e eu apenas me lembro. Envolva-me e eu compreendo. (Confucio)

Recebi um email que terminava com essa frase, não procurei  a fundo conferir se a autoria é mesmo de Confúcio, mas me identifiquei, pensando na teia de vaidades que às vezes pareço ter que apreciar como se fosse uma saga...
Anabel

terça-feira, abril 20, 2010

Sem urgência de preencher os vazios. Na verdade, ainda esvaziando, oscilando entre o despego compassivo e a raiva ou a tristeza de ter que abrir mão. Ainda no processo de velhas peles reptilianas. Por outro lado, fome de resgatar a pele de Foca, minha ancestralidade, valores do meu mais profundo Eu, da história que me dá sentido. Tenho cantado muito. Meu vórtice cardíaco anda sacudindo, reverberando de novo, saindo do medo de sentir dor, expandindo... uma cachoeira... às vezes uma sensação oca no peito... e não quero saber de tapar buraco algum agora. Escancaro-me então. E não sou só.

Anabel

sábado, abril 10, 2010

Descobrir São Paulo é aventura infinita, cada região, cada canto propondo um olhar sob uma perspectiva diferente, uma dinâmica social singular, uma paisagem sonora peculiar, e tantos indivíduos que não se perdem em multidão, vão criando coletivos nos quais se reconhecem comunidade, e contaminam o espírito da cidade como um todo, que aprendo cada vez menos selva de pedra,  e mais rede de Indra. Cultura, arte, saberes. tradições, vanguardas, imigrantes, indígenas, ostentações, carências, pés de guerra, caminhos criativos... Mas falta muito verde!!! (Será que de 2002 pra cá esse mapa ficou menos árido?)


Anabel

sábado, março 27, 2010

outros olhos

Ontem participei do workshop "Reeducação Visual" promovido pela Cia Danças em sua Sede, com a terapeuta Fernanda Leite Ribeiro, especialista no método de Meir Shneider, e saí com uma leveza no olhar, e o desejo de confundir os velhos padrões por onde absorvo o mundo. Reeducar o olhar, de modo que em lugar de esforçar-me por enxergar, permita que o mundo entre por meus olhos. Abrir lacunas no cotidiano para olhar ao longe, e relaxar o padrão de olhar tudo sempre de perto que ficou estabelecido com nossa evolução tecnológica. Desafiar o olho dominante. Aceitar com carinho certas consequências de uma dominância cruzada, em lugar de julgar-me menos capacitada... Olhar as estrelas do ponto de vista de um deus. Permitir-me mergulhar na mais profunda escuridão, o negro mais absoluto, onde de fato se pode descansar os olhos.
No monitor os olhos buscam em vão uma definição de imagem, e são iludidos por pixels em fluxos de luz, oscilam num nada. Dentro de mim flutuam no preto do espaço sideral.
"Volver a sentir profundo como un niño frente a Diós", também ouvindo na vastidão de dentro...
Prospectar a vida imensa. O olhar define e antecede a direção do deslocamento, move-se antes do corpo. O olhar central me diz "o quê", o periférico "onde". Um coisa, outro fluxos. As sincronicidades avisando que o olho que tudo vê é meu mesmo. É de cada um mesmo. Inclusive de todos. Para todos. E inventa a todo instante. Ainda que sem onisciência.

Anabel

terça-feira, março 16, 2010

Tuluzi

Acabamos de adotar um gatinho, o Tuluzi, e já estamos num encantamento total com sua graça desmedida! Ele adora fazer companhia pra Laila, e explorar seus brinquedos... é muito nenezinho ainda... tá sempre grudadinho na gente. E exige carinho mesmo, até mia rouco! E quer tomar banho junto, já viu gato que chora porque quer entrar no banho?!? O Tuluzi faz isso. E curte dormir no vão atrás do piano, embaixo das nossas camas, nas prateleiras...
Um momento de novas companhias entrarem em nossa casa, compartilhar coisas simples, acolher, acarinhar, sorrir, rir, cantar, tocar, miar.

Anabel

sábado, março 13, 2010



Esta eu arrastei da Nina Victor, do seu delicioso blog Fátuo Sofisma.
Que bom ter amigos pra poder compartilhar a vida desse tamanho.
Bel

quarta-feira, março 10, 2010

Tempo sem tempo

José Miguel Wisnik

vê se encontra um tempo


pra me encontrar sem contratempo

por algum tempo

o tempo dá voltas e curvas

o tempo tem revoltas absurdas

ele é e não é ao mesmo tempo

avenida das flores

e a ferida das dores

e só então

de sopetão

entro e me adentro no tempo e no vento

e abarco e embarco no barco de Ísis e Osíris

sou como a flecha do arco do arco do arco-íris

que despedaça as flores mais coloridas em mil fragmentos

que passa e de graça distribui amores de cristais totais sexuais celestiais

das feridas das queridas despedidas

de quem sentiu todos os momentos
 
 
____________________________________
 
É porque a gente não procura que não encontra esse tempo que poderia ser o tempo que tudo pode curar a partir do encontro.
 
Anabel

segunda-feira, março 08, 2010

Que dia da mulher mais especial! Um presente do Universo. Parecia até uma abertura de portal, tantas "coincidências" e reverberações de novas escolhas...
Transmutando o fim de um ciclo de 7 anos iniciado num 8 de março... grandes aprendizados sobre ser e gostar de ser a mulher que sou, persistência, transformar mágoas em crescimento e compaixão, paciência, lealdade, perdão, limites e finalmente deixar ir. Também desse ciclo levo o aprendizado de ser mãe a cada dia...
Encontrei com uma amiga, parceira de som e luz no centro da cidade , daquelas que nos fazem reconhecer nosso eu mais profundo, identidade, sincronicidade, e, de repente, estavamos fazendo uma peregrinação pelos espaços sagrados daquele coração de Sampa... conectando com o divino invisível que tudo habita. São Francisco, Catedral da Sé, Nossa Sra. da Cabeça, Santa Luzia... clareando o olhar. Quando a gente se vê, se eleva. E como em "Avatar", ver o outro na totalidade, respeitando e comungando com ele, dá um sentido de pertencer. Tribo.
As esculturas pelas quais se passa de um jeito blasé em geral, hoje pareciam gritar pelo olhar.
ManaCá, que riqueza de encontro! 'Tudo que move é sagrado e remove as montanhas com todo cuidado."
Caminho novo se abrindo. Tempo.
Eu me sentindo tão viva, livre e bonita! Serena, e cheia de ansiedade... pulsando e abrindo espaços novos em mim.
Grata por tudo ser como é.

Anabel

sábado, março 06, 2010

Universidades abertas

Conversava com Penha, mestra e amiga querida, e ela me falou da UMAPAZ , Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz, sediada no Parque do Ibirapuera, gratuita e com diversas atividades de formação, voltadas sempre para as questões ambientais e a Cultura de Paz, em funcionamento desde 2005 (mesma idade da Laila!). É preciso inscrever-se com antecedência para os cursos, pois são bem concorridos, mas há palestras muito interessantes, para as quais basta chegar com 15 minutos de antecedência.
Outra que descobri hoje é a UNIAGUA , ong sediada em SP, que desenvolve parcerias com Secretarias de Governo, órgãos públicos, indústrias, empresas e demais gestores da educação ambiental, e junto à rede de ensino, com a missão de promover a proteção, preservação e recuperação da água no planeta, através do exercício da educação ambiental, de modo a assegurar para a atual e futuras gerações a necessária disponibilidade de água, em padrões de qualidade.
E tem várias inicativas assim pelo Brasil e pelo mundo, contemplando como se deve e conscientizando para a finitude dos recursos do planeta. Demorou, mas ainda dá tempo de não piorar na mesma progressão que nos trouxe até o estado de alerta.

Bom nos conectarmos universal e universitáriamente. No tempo em que eu era adolescente e lia a revista Planeta, onde se abordavam essas questões, a gente era rotulado de bicho grilo - rsrsrsrs. Agora, citando a maravilhosa Rosinha de Valença, "os grilos são astros"! Que bom viver pra ver!

Anabel

PS.: E não esqueça de guardar o óleo usado na cozinha, basta esperar o óleo esfriar para não provocar queimaduras, tirar o excesso de água e restos de alimentos, acondicioná-lo em garrafa pet ou recipiente de vidro com tampa.e levá-lo até um posto de arrecadação.

sexta-feira, março 05, 2010

Primavera

José Miguel Wisnik



A primavera é quando ninguém mais espera

A primavera é quando não

A primavera é quando do escuro da terra

Acende a música da paixão

A primavera é quando ninguém mais espera

E desespera tudo em flor

A primavera é quando ninguém acredita

E ressuscita por amor



A primavera é quando ninguém mais espera

A primavera é quando não

A primavera é quando do escuro da terra

Acende a música do tesão

A primavera é quando ninguém mais espera

E desespera tudo em flor

A primavera é quando ninguém acredita

E ressuscita por amor


__________________________________________________________

"A primavera é quando ninguém mais espera E desespera tudo em flor"? Nada mais posso dizer...

Bel
Muitas mudanças acabam por trazer uma certa insegurança, coisas que fazem parte do crescer, e não adianta "jogar pra baixo do tapete".
Minha filha tá num momento de perceber-se já maiorzinha, conversa, dá exemplo, resolve pequenos conflitos, ajuda e colabora em tarefas, faz "lição de casa", mas diante de certos sentimentos e emoções, como raiva ou ciúme, ainda se põe a chorar... ainda no processo de aprender a lidar com a frustração. Claro que é bem diferente dos 3 ou 4 anos, mas ainda há uma construção, na qual meu papel como mãe é fundamental, ajudando-a a reconhecer e validar o que sente, e perceber qual a atitude adequada dentro de uma situação específica. Uma dose de regressão acompanha as transições... até mesmo quando nos tornamos adultos!
E o que eu aprendo é que o amor é generoso, mas que também mostra com clareza os limites. Limites para desenvolver um comportamento pró convivência social, e generosidade em aceitar e validar o que quer que se sinta, em vez de fazer de conta que não existem sntimentos que frustram, e construir um caráter cheio de indiferença e distanciamento afetivo, como se vê por aí um monte de gente educadíssima, que não consegue conectar em profundidade com o outro, fica sofrendo, presa aos bons modos, acreditando que corpo e alma podem ser assim domados.
A meu ver a meditação sim nos torna desapegados desse turbilhão emocional, e preenchidos de verdadeira compaixão, amor despido de preconceitos. Mas é um processo que exige dedicação, persistência, compromisso. Como todo processo de aprendizado e transformação. Como todo processo amoroso.
Eu reconheço a mudança acontecendo, pela insegurança que sinto ao ver-me tendo ou buscando novas atitudes diante de acontecimentos da rotina. E acolho os momentos de regressão...
... e as palavras, sempre as palavras amorosas e os elogios conseguem transformar mais do que julgamentos e reprimendas excessivas e constantes (inclusive conosco mesmo!). A vibração de cada palavra/pensamento/ atitude, não a coleção de letras sem coerência. Palavra corporificada.

Anabel

quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Anos luz

Há cinco anos dei à luz o meu farol, Laila! E agora sigo a rota das sereias.

Rota das Sereias é também uma canção, composta por Ju Vieira e Nô Stopa, que Dani Lasalvia, mana d'alma, também vinda ao  mundo num 24 de fevereiro, canta tão lindamente no seu cd Madregaia.

E num 24 de fevereiro aniversaria ainda minha querida terapeuta e parceira de constelações, Sandra Lila!

Uma data pra lá de especial para celebrar! Sou grata ao universo por elas, por elas em minha vida.

Anabel

sábado, fevereiro 20, 2010

Um dia lindo desses, uma noite deliciosa, e, ainda por cima, duas vezes meia noite!!!!
A vida é um presente, sem dúvida.

Anabel

PS: Ainda nos encontros comigo mesma, ando me poupando das velhas projeções... antes só, que depois! rsrs

terça-feira, fevereiro 09, 2010

Amigo de verdade se interessa pelo outro, quer saber e quer contar coisas da vida, quer-lhe o bem, dá uma força, ou simplesmente acolhe nos tempos difíceis, fica feliz quando o outro tá numa maré bacana, e mesmo com uma eventual ponta de inveja, comemora os êxitos do amigo. De repente pintam desacordos, "brigas", ficar de mal, mas logo se esclarecem as coisas, amigo desapega da necessidade de ter razão, ou de explicar tudo, dá risada até dos desentendimentos, não fica cozinhando mágoas pra sempre. Amigos se perdoam, e não tem vergonha de pedir desculpas.
Reciprocidade, alteridade, fraternidade. (Ou qualquer papo furado pode  virar uma conversa calorosa, divertida, profunda, cheia de cumplicidade.)
Amigos compreendem a falta de mensagens exclusivas num momento de agenda cheia, de muito trabalho.
Amigos são pra maus e bons, pra todos os momentos. Perto ou longe.
Com um amigo de verdade a gente pode ser simplesmente quem é, como nos tempos de criança.
Sou muito grata pelos amigos que tenho. Graças a voces, "el cantar tiene sentido".
Muito agradecida!!!

Anabel

PS: essa foto eu tomei emprestada de http://www.noticiasdaportela.pt/?p=95

NOP em Brasília

Vox Brasilis


Centro Cultural Banco do Brasil
4 Fev a 14 Fev
Horário: Quitas, sextas e sábados, às 21h
Domingos, 20h

Núcleo Orgânico Performático & Mambembrincantes

Dias 11 e 12 de fevereiro
Quinta e sexta, às 21h

A irreverência circense combinada com os jogos vocais e recursos de percussão corporal dão um sabor contemporâneo ao projeto. O Núcleo Orgânico Performático traz um trabalho experimental com a exploração de instrumentos sonoros feitos com materiais alternativos. Mambembrincantes traz um repertório com composições próprias, músicas de domínio público e canções tradicionais das manifestações populares.


SERVIÇO

Data: De 4 a 14 de fevereiro

Horário: Quitas, sextas e sábados, às 21h
Domingos, 20h

Local: Teatro
SCES, Trecho 2, lote 22

Bilheteria/Informações: Terça a domingo, das 9h às 21h
Telefone: (61) 3310-7087

Ingressos: R$ 15 (inteira)
R$ 7,50 (meia entrada para estudantes, professores, funcionários e correntistas do Banco do Brasil e maiores de 60 anos)

Classificação: Livre

quarta-feira, fevereiro 03, 2010

Vozes Bugras em Brasília

VOX BRASILIS
Centro Cultural Banco do Brasil
Data: De 4 a 14 de fevereiro

Horário: Quitas, sextas e sábados, às 21h
Domingos, 20h

Local: Teatro
SCES, Trecho 2, lote 22



Vozes Bugras & Mawaca
Dias4 e 5 de fevereiro
Quinta e sexta, às 21h



Os grupos apresentam, em vozes femininas, a mescla de nossas raízes com a world music. O primeiro grupo cujo trabalho surgiu a partir de um trocadilho com o Mistério das Vozes Búlgaras, traz canções, contos, ritos, mitos e lendas que remetem à identidade bugra-cabocla- mulata-mameluca- cafusa brasileira. As sete cantoras do Mawaca trazem um repertório com os temas tradicionais da música de diversos países.



Bilheteria/Informaçõ es: Terça a domingo, das 9h às 21h
Telefone: (61) 3310-7087

Ingressos: R$ 15 (inteira)
R$ 7,50 (meia entrada para estudantes, professores, funcionários e correntistas do Banco do Brasil e maiores de 60 anos)

Classificação: Livre

terça-feira, fevereiro 02, 2010

Acordar com carinho transforma qualquer dia cinza em domingo ensolarado! Olhar nos olhos profundamente, sem ter nada a dizer, sem querer dizer nada, sem procurar coisa alguma, apenas olhar e deixar-se olhar, semantesnemdepois.
O óbvio ululante: todo mundo quer amor de verdade! Mas quem está disposto a deixá-lo acontecer?

Anabel

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Um diálogo imperdível do Osho sobre a questão "ser refinado ou natural?", no blog Jardim Florido , da linda Magali. Pra meditar...

Anabel

terça-feira, janeiro 26, 2010

... a graça como encantamento, como epifania, um momento em que o sentimento e a sensação de pertencer a um todo maior transcendem o corriqueiro estado de atenção, o coração sorri com coisas simples, como a observação de uma chuva que chega enquanto ainda brilha o sol e brincamos na areia... a graça de poder compartilhar essa percepção, e sentir que ressoa na cumplicidade... só amigos tem esse privilégio, talvez porque consigam olhar-se como crianças, sem prejulgamentos e pressuposições do que o outro queira dizer. Apenas sentir a graça juntos.

Anabel

terça-feira, janeiro 19, 2010

sem previsão do tempo

Gosto dessas noites com chuva, as várias camadas sonoras da água caindocompondo uma sonata branca.
Pingos e gotas no telhado, no quintal, na telha da garagem, onde formam fios d'água que escorrem para a calçada, o fluxo da água na sarjeta, os roncos de trovões a variadas distâncias, a bica na calha, os pneus dos carros espirrando pastoso em sua passagem, o ruido branco da chuva nas árvores, na rua, na cidade, de vez em quando uma voz colorindo o rítmo contínuo sem fórmulas de compasso...


Anabel

domingo, janeiro 17, 2010

Vírus

José Miguel Wisnik


Matei a fome

Matei a sede

Matei a coisa

Matei o nome



Matei a cobra

O mal da dor

Matei o medo

Matei o amor



Matei o desejo

Fechei questão

Matei a charada

Matei o tesão



Senti o nervo

Fui na raiz

Te vi no espelho

Passei um xis



Um xeque-mate

Me derrubou

Matei num gole

O que restou



Matei a saudade

E ainda assim

Eu sinto teu vírus

Por dentro de mim



O tempo a vontade

E ainda amor

Teu vírus entrou

No meu computador

_______________________________________

Se deixar transcrevo o disco todo! Wisnik é genial!!!!

E acompanha "A Torre" que tirei agora no tarot do personare:

Eliminando o que não serve mais



O arcano XVI emerge como arcano conselheiro para este momento de sua vida, sugerindo que é chegado um importante momento em sua existência: o tempo para romper com tudo aquilo que não lhe serve mais e que você preservava apenas por manutenção de fachadas. Estas coisas que precisam ser eliminadas podem ser (e geralmente são) internas e têm a ver com hábitos, modelos mentais e expectativas falsas. Mas podem ser também relacionamentos falidos, projetos que não dão em nada, ou seja, qualquer coisa que não faz mais nenhum sentido em sua vida e que você talvez não tenha ainda a coragem de eliminar. Todavia, é preciso agir, caso contrário a negatividade se tornará pior. Enfrente com coragem este momento de varredura radical!

Haja coragem, e mais do que largar, manter-me longe dos hábitos e coisas que não rolam mesmo, que é o mais desafiador, pois eu costumo esquecer muito rápido o lado ruim...

Anabel

Laser



Ricardo Breim / Jose Miguel Wisnik



Gota pura


gota gota pura

vindo pela veia do veio



diamante

diamante duro

cortando cristal pelo meio



com um beijo eu acordei

outro beijo me dormiu

depois todo o tempo se seguiu

todo o tempo nos antecedeu

ficou preso e solto por um fio

e esse fio era você e eu



leva leve

pega e leva leve

raio da leveza do laser



eu te firo

e você me fere

como a luz nos fere com seu ser

______________________________________________

...quando não há como rasgar, nem quebrar, despedaçar, nem cortar com lâminas.

Anabel

sábado, janeiro 09, 2010

Eu desejo

Que 2010 seja doce e delicioso como o mel silvestre da Pedra Preta, que em cada momento eu encontre o sentido de realização que olhar a Serra da Mantiqueira lá do alto me traz, e que o encontro com o outro seja amoroso, livre e cristalino como o que sempre lá se dá.

Anabel