segunda-feira, junho 23, 2008

O Jeito de Viver


Aos meus irmãos de geração que, por mais que tenhamos mudado, ainda nos permitimos comover com velhas canções ao som de um violão em volta de uma fogueira. À minha tribo, e a todas as tribos que amam e cuidam da Terra. A todos que buscam na simplicidade e na franqueza sua expressão de amor à vida.

(um oferecimento Radiobel ;p)
________________________________________________________

O Jeito de Viver

Sá e Guarabyra

Eu ainda sou
Aquele sonhador
Desculpe se o que eu sinto
É muito antigo
Desculpe o que eu fizer
É por amor
Eu ainda vivo
No mundo da lua
Fazendo planos simples pro futuro
Eu na verdade
Sou um menestrel medieval
Assombrado com imagens de televisão
Assustado pelas coisas que acontecem
Dentro do meu coração
Por isso eu penso
Que essas coisas
Não deviam ser
Pura paixão
Eu ainda estou
Querendo descobrir
Um jeito de mostrar meu sentimento
Um jeito claro e simples de viver
Sem precisar fingir
Eu na verdade
Sou um menestrel medieval
Assombrado com imagens de televisão
Assustado pelas coisas que acontecem
Dentro do meu coração
Por isso eu penso
Que essas coisas
Não deviam ser
Pura paixão...

3 comentários: