quarta-feira, dezembro 20, 2006


Vozes Bugras

Vozes Bugras surgiu de um trocadilho com o Mistério das Vozes Búlgaras, que não é mero acaso, como viemos a descobrir. A denominação depreciativa "bugre", dada aos indígenas brasileiros pelos colonizadores, provém do termo francês bougre, referente aos "hereges" búlgaros, resistentes à ocupação de seu terrritório em séculos passados, e extendeu-se a todo aquele que fosse considerado rude ou selvagem, em contraposição uma idéia exclusiva de civilização européia.

Daí nasceu o conceito fundamental da pesquisa de repertório em que mergulhamos, buscando resgatar canções, contos, ritos, mitos e lendas que remetem à nossa identidade bugra-cabocla-mulata-mameluca-cafusa brasileira.

O fato do grupo ser composto por mulheres levou-nos a refletir sobre as particularidades da identidade feminina no nosso legado cultural, de modo que neste trabalho tratamos também de render homenagem a compositoras e intérpretes que guardam, reinventam e simbolizam nossa bugridade mulher.

A seleção do repertório é bastante intuitiva, e nosso "terreiro" abriga de pontos do Candomblé a textos de autores modernistas, desde que o elemento circular e uma musicalidade ancestral estejam presentes e comovam. Além de violão, viola, percussão e canto, utilizamos instrumentos feitos com sucata, e a percussão vocal e corporal que trazemos de nossa experiência na Orquestra Orgânica Performática, criada por Stênio Mendes com a colaboração de Fernando Barba, mestres e parceiros de tanta música espontânea.

Nosso trabalho de recolher, acolher e reler o legado de antepassados, fundamenta-se no sincero desejo de contribuir neste momento de revitalização da cultura popular de raiz, reconhecendo a espiritualidade ancestral que nela se mantém sempre atual, renovada, dia a dia, em compaixão, força, e sabedoria.

Saravá, bugres do planeta!
Imagem: "Menina sentada" de Cândido Portinari

Um comentário: